Valores de retorno de função

Você está lendo a versão em inglês deste conteúdo porque ainda não há uma tradução para este idioma. Ajude-nos a traduzir este artigo!

Há um último conceito essencial para discutirmos neste curso, para fechar nossa visão das funções — valores de retorno. Algumas funções não retornam um valor significativo após a conclusão, mas outras o fazem, e é importante entender quais são seus valores, como utilizá-los em seu código e como fazer com que suas próprias funções personalizadas retornem valores úteis. Nós vamos cobrir tudo isso abaixo.

Prerequisites:

Basic computer literacy, a basic understanding of HTML and CSS, JavaScript first steps, Functions — reusable blocks of code.

Objective: To understand function return values, and how to make use of them.

Quais são os valores de retorno?

Valores de retorno são exatamente como soam — valores retornados pela função quando são concluídos. Você já conheceu os valores de retorno várias vezes, embora possa não ter pensado neles explicitamente. Vamos voltar para algum código familiar:

var myText = 'I am a string';
var newString = myText.replace('string', 'sausage');
console.log(newString);
// the replace() string function takes a string,
// replaces one substring with another, and returns
// a new string with the replacement made

Nós vimos exatamente este bloco de código em nosso primeiro artigo de função. Estamos invocando a função replace() na string myText e passando a ela dois parâmetros — a substring para localizar e a substring para substituí-la. Quando essa função é concluída (termina a execução), ela retorna um valor, que é uma nova string com a substituição feita. No código acima, estamos salvando esse valor de retorno como o valor da variável  newString.

Se você observar a página de referência MDN da função de substituição, verá uma seção chamada Valor de retorno. É muito útil conhecer e entender quais valores são retornados por funções, portanto, tentamos incluir essas informações sempre que possível.

Algumas funções não retornam um valor de retorno como tal (em nossas páginas de referência, o valor de retorno é listado como void ou undefined em tais casos). Por exemplo, na função displayMessage() que criamos no artigo anterior, nenhum valor específico é retornado como resultado da função que está sendo chamada. Apenas faz uma caixa aparecer em algum lugar na tela — é isso!

Geralmente, um valor de retorno é usado onde a função é uma etapa intermediária em um cálculo de algum tipo. Você quer chegar a um resultado final, que envolve alguns valores. Esses valores precisam ser calculados por uma função, que retorna os resultados para que possam ser usados no próximo estágio do cálculo.

Usando valores de retorno em suas próprias funções

Para retornar um valor de uma função personalizada, você precisa usar ... aguarde por isso ... a palavra-chave return. Vimos isso em ação recentemente em nosso exemplo random-canvas-circles.html. Nossa função draw() desenha 100 círculos aleatórios em algum lugar em um HTML <canvas>:

function draw() {
  ctx.clearRect(0,0,WIDTH,HEIGHT);
  for (var i = 0; i < 100; i++) {
    ctx.beginPath();
    ctx.fillStyle = 'rgba(255,0,0,0.5)';
    ctx.arc(random(WIDTH), random(HEIGHT), random(50), 0, 2 * Math.PI);
    ctx.fill();
  }
}

Dentro de cada iteração de loop, três chamadas são feitas para a função random() , para gerar um valor aleatório para a coordenada x do círculo atual, coordenada ye raio, respectivamente. A função random() recebe um parâmetro — um número inteiro — e retorna um número aleatório inteiro entre 0 e esse número. Se parece com isso:

function randomNumber(number) {
  return Math.floor(Math.random()*number);
}

Isso pode ser escrito da seguinte maneira:

function randomNumber(number) {
  var result = Math.floor(Math.random()*number);
  return result;
}

Mas a primeira versão é mais rápida de escrever e mais compacta.

Estamos retornando o resultado do cálculo Math.floor(Math.random()*number) cada vez que a função é chamada. Esse valor de retorno aparece no ponto em que a função foi chamada e o código continua. Então, por exemplo, se nós rodássemos a seguinte linha:

ctx.arc(random(WIDTH), random(HEIGHT), random(50), 0, 2 * Math.PI);

e as três chamadas random() retornaram os valores 500, 200 e 35, respectivamente, a linha seria executada como se fosse isso:

ctx.arc(500, 200, 35, 0, 2 * Math.PI);

As chamadas de função na linha são executadas primeiro e seus valores de retorno substituem as chamadas de função, antes que a própria linha seja executada.

Aprendizagem ativa: nossa própria função de valor de retorno

Vamos escrever nossas próprias funções com valores de retorno.

  1. Primeiro de tudo, faça uma cópia local do arquivo function-library.html do GitHub. Esta é uma página HTML simples contendo um campo de texto <input> e um parágrafo. Há também um elemento <script> no qual armazenamos uma referência a ambos os elementos HTML em duas variáveis. Esta pequena página permitirá que você insira um número na caixa de texto e exiba diferentes números relacionados a ele no parágrafo abaixo.
  2. Vamos adicionar algumas funções úteis para este elemento <script>. Abaixo das duas linhas existentes de JavaScript, adicione as seguintes definições de função:
    function squared(num) {
      return num * num;
    }
    
    function cubed(num) {
      return num * num * num;
    }
    
    function factorial(num) {
      var x = num;
      while (x > 1) {
        num *= x-1;
        x--;
      }
      return num;
    }
    As funções squared() e cubed() são bastante óbvias — elas retornam o quadrado ou cubo do número dado como um parâmetro. A função factorial() retorna o  fatorial do número fornecido.
  3. Em seguida, vamos incluir uma maneira de imprimir informações sobre o número digitado na entrada de texto. Digite o seguinte manipulador de eventos abaixo das funções existentes:
    input.onchange = function() {
      var num = input.value;
      if (isNaN(num)) {
        para.textContent = 'You need to enter a number!';
      } else {
        para.textContent = num + ' squared is ' + squared(num) + '. ' +
                           num + ' cubed is ' + cubed(num) + '. ' +
                           num + ' factorial is ' + factorial(num) + '.';
      }
    }

    Aqui estamos criando um manipulador de eventos onchange que é executado sempre que o evento de mudança é acionado na entrada de texto — ou seja, quando um novo valor é inserido na entrada de texto e enviado (insira um valor e pressione tab por exemplo). Quando essa função anônima é executada, o valor existente inserido na entrada é armazenado na variável num.

    Em seguida, fazemos um teste condicional — se o valor inserido não for um número, imprimiremos uma mensagem de erro no parágrafo. O teste analisa se a expressão isNaN(num) retorna true. Usamos a função isNaN() para testar se o valor num não é um número — se for, retorna true, e, se não, false.

    Se o teste retorna false, o valor  num é um número, então imprimimos uma frase dentro do elemento de parágrafo informando o que é o quadrado, o cubo e o fatorial do número. A sentença chama as funções squared(), cubed(), e factorial() para obter os valores necessários.

  4. Salve seu código, carregue-o em um navegador e experimente.

Nota: Se você tiver problemas para fazer o exemplo funcionar, sinta-se à vontade para verificar seu código na versão finalizada no GitHub (consulte também sua execução), ou peça ajuda.

Neste ponto, gostaríamos que você escrevesse algumas funções e as adicionasse à biblioteca. Como sobre o quadrado ou raiz cúbica do número, ou a circunferência de um círculo com um raio de comprimento num?

Este exercício trouxe alguns pontos importantes além de ser um estudo sobre como usar a declaração de return. Além disso, temos:

  • Analisamos outro exemplo de como escrever erros em nossas funções. Geralmente, é uma boa ideia verificar se os parâmetros necessários foram fornecidos e, no tipo de dados correto, e se eles são opcionais, que algum tipo de valor padrão é fornecido para permitir isso. Desta forma, o seu programa terá menos probabilidade de lançar erros.
  • Pense na ideia de criar uma biblioteca de funções. À medida que você avança na sua carreira de programação, você começará a fazer o mesmo tipo de coisas uma e outra vez. É uma boa idéia começar a manter sua própria biblioteca de funções utilitárias que você usa com muita frequência — você pode então copiá-las para o seu novo código, ou até mesmo aplicá-las a qualquer página HTML onde você precisar.

Conclusão

Então, temos isso — funções são divertidas, muito úteis e, embora haja muito o que falar em relação à sua sintaxe e funcionalidade, bastante compreensíveis, dados os artigos certos para se estudar.

Se houver algo que você não entendeu, fique à vontade para ler o artigo novamente ou entre em contato conosco para pedir ajuda.

Veja também

  • Funções detalhadas — um guia detalhado cobrindo informações relacionadas a funções mais avançadas.
  • Funções de retorno de chamada em JavaScript — um padrão JavaScript comum é passar uma função para outra função como um argumento, que é então chamado dentro da primeira função. Isso está um pouco além do escopo deste curso, mas vale a pena ser estudado em pouco tempo.

 

In this module