Transfer-Encoding

O cabeçalho Transfer-Encoding especifica a forma de codificação usada para transferir seguramente o corpo da mensagem (payload body (en-US)) para o usuário.

HTTP/2 não suporta o mecanismo de codificação de trasferência fragmentada do HTTP 1.1, já que ele provém o próprio, e mais eficiente, mecanismo para streaming de dados.

Transfer-Encoding é um cabeçalho salto-por-salto (hop-by-hop header), que é aplicado a uma mensagem entre dois nós, não ao recurso em si. Cada segmento da conexão multi-nós pode usar diferentes valores Transfer-Encoding. Se você quer comprimir dados através da conexão inteira, use o cabeçalho Content-Encoding ao invés disso.

Quando presente em uma resposta para uma requisição HEAD que não tem corpo, ele indica o valor que seria aplicado a mensagem GET correspondente.

Tipo de cabeçalho Response header (en-US)
Forbidden header name sim

Sintaxe

Transfer-Encoding: chunked
Transfer-Encoding: compress
Transfer-Encoding: deflate
Transfer-Encoding: gzip
Transfer-Encoding: identity

// Diversos valores podem ser listados, separados por vírgula
Transfer-Encoding: gzip, chunked

Diretivas

chunked
Dados enviados em uma série de fragmentos. O cabeçalho Content-Length é omitido neste caso e no começo de cada fragmento, você precisa adicionar o tamanho do fragmento atual em formato hexadecimal, seguido por '\r\n' e o fragmento em si, seguido por outro '\r\n'. O fragmento final é um fragmento normal, com exceção que seu tamanho é zero. Ele é seguido por um reboque, que consiste de uma (possívelmente vazia) sequência de cabeçalhos de entidade.
compress
Um formato usando o algoritmo Lempel-Ziv-Welch (LZW). O nome do valor foi pego do programa UNIX compress, que implementa o algoritmo.
Como o programa de compressão, que desapareceu da maioria das distribuições UNIX, esta codificação de conteúdo não é usada por quase nenhum navegador atualmente, em partes por causa do seu problema de patente (que expirou em 2003).
deflate
Usando a estrutura zlib (definida na RFC 1950), com o algoritmo de compressão deflate (definido em RFC 1951).
gzip
O formato usando a codificação Lempel-Ziv (LZ77), com CRC 32-bit. Este é originalmente o formato do programa UNIX gzip. O padrão HTTP/1.1 também recomenda que os servidores que suportem esta codificação de conteúdo devem reconhecer x-gzip como um pseudônimo, para propósitos de compatibilidade.
identity
Indica a função de identidade (i.e. sem compressão, nem modificação). Este token, exceto se explicitamente especificado, é sempre considerado aceitável.

Exemplos

Codificação fragmentada

Codificação fragmentada é útil quando grandes quantidade de dados estão sendo enviados para o cliente e o tamanho total da resposta pode não ser conhecido até que a requisição seja totalmente processada. Por exemplo, quando gerando uma grande tabela HTML resultante de uma consulta no banco de dados ou transmitindo grandes imagens. A resposta fragmentada se parece com isto:

HTTP/1.1 200 OK
Content-Type: text/plain
Transfer-Encoding: chunked

7\r\n
Mozilla\r\n
9\r\n
Developer\r\n
7\r\n
Network\r\n
0\r\n
\r\n

Especificações

Especificação Título
RFC 7230, sessão 3.3.1: Transfer-Encoding Hypertext Transfer Protocol (HTTP/1.1): Message Syntax and Routing

Compatibilidade com navegadores

BCD tables only load in the browser

Veja também