Executando o codebase do Gaia

Este artigo necessita de uma revisão editorial. Como posso ajudar.

Esse artigo trata em detalhes como executar o codebase do Gaia localmente e quais ferramentas estão disponíveis para a configuração.

Para começar, nós avisamos que você NÃO PRECISA compilar o Gecko ou o B2G para contribuir com o Gaia. Basta você baixar o código fonte do Gaia e de alguma forma conseguir executar e editar.

Existem formas diferentes de executar o Gaia:

  • Fazer um flashing de uma compilação atualizada do Gaia no seu telefone
  • Executar o seu Gaia no B2G Desktop
  • Executar o seu Gaia através do App Manager/Simulador Firefox OS/WebIDE
  • Executar o Gaia dentro da ferramenta Firefox Mulet para a execução do Gaiano Desktop

Você pode encontrar informações concisas de como executar o Gaia nessas diferentes formas na página As diferentes formas de executar o Gaia, juntamente com links para informações detalhadas. Em geral ordenadas das mais complexas (porém com experimentos mais realísticos) para as mais simples (porém com experimentos menos realísticos).

Nesse artigo, nós concentrarmos na execução do Gaia dentro do Firefox Mulet ou da WebIDE — para a maioria das alterações que você fizer no codebase do Gaia, essas formas oferecem os mecanismos mais rápidos para testar atualizações, mas obviamente existem alguns recursos (como APIs de testes do dispositivo ou interação com o hardware do telefone) que necessitará um dispositivo real.

Nota: Se quiser mais ajuda com o Gaia, os melhores locais para ir são o canal #gaia do IRC (veja Mozilla IRC para maiores informações) e a lista de emails dev-gaia.

Executando o Gaia no Firefox Desktop

  1. Primeiro, faça um fork do repo principal do Gaia no Github.
  2. Depois, clone seu fork localmente:
    git clone https://github.com/your-username/gaia.git
  3. Adicione o upstream dessa forma:
    cd gaia
    git remote add upstream https://github.com/mozilla-b2g/gaia
  4. Instale Fira Sans font no seu sistema: essa é a fonte que o Gaia utiliza nos dipositivos reais, então é útil ter disponível quando executar o Gaia no Desktop, especialmente se você estiver tentando depurar problemas relacionados com tamanhos de fonte ou textos que não caibam nos espaços destinados para tal.
  5. Agora você precisa criar um perfil de depuração do Gaia. Executando DEBUG=1 make dentro do diretório deo seu repo cria um perfil no diretório profile-debug, que é configurado para otimizar a depuração. Isso cria versões desempacotadas (versões hospedadas) dos aplicativos Gaia que podem ser servidos diretamente via o servidor local HTTPD empacotado com o Firefox Desktop como uma extensão. Quando você faz uma alteração basta apenas recarregar a janela do navegador para ver o resultado (como você verá mais tarde), ao invés de recompilar o perfil, enviar para o dispositivos, etc. Isso é realmente bom para um rápido hacking do CSS/JS/HTML.
  6. Com o seu perfil de depuração, execute no seu Firefox Desktop (nós recomendamos usar a versão Firefox Nightly) a partir da linha de comando com a seguinte estrutura:
    /path/to/firefoxnightly -profile /path/to/B2G/gaia/profile-debug -no-remote
    Por exemplo, no OS X, nós executamos o seguinte comando:
    /Applications/FirefoxNightly.app/Contents/MacOS/firefox -profile /Users/bob/git/gaia/profile-debug -no-remote

Isso deve carregar o seu pefil do Gaia em uma tab do Firefox Desktop, como mostrado abaixo (repare que na URL: http://system.gaiamobile.org:8080/):

A screenshot of Firefox OS Gaia being run inside a desktop Firefox nightly build.

Nota: Se você abrir uma tab na janela onde o Gaia estiver sendo executado no Firefox Desktop, entre about:config, e procure por "gaia", você encontrará um número de preferfências extensions.gaia.* — que a extensão httpd.js está usando. Você também poderá encontrar a preferência network.dns.localDomains, que é um truque que faz http://system.gaiamobile.org:8080 conectar no seu localhost.

Nota: O comando make é executado dentro do diretório Gaia para criar um perfil (incluindo aplicativos, configurações, etc) que pode ser carregado no telefone, ser executados no emulador, etc. O comando make tem diversas opções para criar diferentes tipos de compilações. Executando somente make cria um perfil de produção padrão dentro de gaia/make, com aplicativos empacotdos, que não é configurado para modificações para otimização nem depuração.

Ferramentas disponíveis

Você verá que há diversas ferramentas disponíveis, incluindo:

  • Visão de design responsivo no canto superior esquerdo.
  • Todas as ferramentas de depuração padrão da Caixa de Ferramentas do Firefox disponível à direita da tela (por padrão; pode ser movida para a parte de baixo da tela caso deseje, mas à direita faz mais sentido quando depurar a tela da esquerda).
  • Um tab de ferramentas especiais para o Firefox OS que fornece algumas ferramentas específicas para depurar o Firefox OS nesse modo:
    • Notification: Dispara um teste de notificação do sistema.
    • Reload application: Recarrega o aplicativo atual.
    • Take screenshot: Faz uma cópia da tela e salva no diretório padrão de imagens do seu sistema, por exemplo[HOME-FOLDER]/Pictures/screenshots em um Mac.
    • Import workload: Copia um grande número de dados para algums aplicativos, para teste de stress, por exemplo, envia 2000 contatos para o aplicativo Contacts ou 2000 mensagens para o aplicativo email.
       

Etiquetas do documento e colaboradores

 Colaboradores desta página: jwhitlock, AntonioLadeia, rbrandao
 Última atualização por: jwhitlock,